Confraternização da ASUNIRIO será sábado dia 09.

Atenção aos horários de saída dos ônibus e não esqueçam as pulseiras de identificação.

Esta chegando a hora! Neste sábado, dia 09/12/2017 acontecerá a festa de confraternização dos associados da ASUNIRIO no sítio dos netinhos que fica na Estrada do Chaperó, 949 – Chaperó – Itaguai-RJ. Como sempre acontece, para os associados e familiares que optaram por ir de ônibus, a concentração e partida acontecerá no estacionamento do Hospital Gaffreé e Guinle na rua Silva Ramos 100, a partir das 7:30h. Não esqueçam de trazer as pulseiras coloridas entregues no momento de confirmação das inscrições. Elas são importantes para identificação dos associados e seus convidados, Azul (associados) Verde (convidados) e Amarela (crianças de 5 a 12 anos). Crianças menores de 5 anos não precisam de pulseiras e deverão ir de colo. Lembramos que a confraternização é dos associados da ASUNIRIO que estão regularmente matriculados e em dia com suas mensalidades. Assim, pedimos aqueles que não estiverem em situação regular com suas mensalidades que entrem em contato urgente com nossa sede para regularizar sua situação.

Para os associados que optaram em seguir de carro, abaixo segue o mapa com caminho para o sítio:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

<Coordenação colegiada da ASUNIRIO>

CARAVANA À BRASILIA NOS DIAS 27 E 28 DE NOVEMBRO.

O COMANDO DE GREVE DA UNIRIO APROVA PARICIPAÇÃO EM CARAVANA QUE IRA À BRASÍLIA NOS DIAS 27 E 28 DE NOVEMBRO DE 2017, COM A FINALIDADE DE TENTAR BARRAR OS ATAQUES DO GOVERNO CONTRA SERVIDORES PÚBLICOS DA EDUCAÇÃO.                                   OS CARAVANEIROS  DA UNIRIO SE UNIRÃO AOS COMPANHEIROS DA UFF COM PARTIDA PREVISTA ÀS 09h E 30min DO 26 DE NOVEMBRO.

AÇÃO DOS 28,86%

Numeração Nova 0022240-87.1995.4.02.5101 – Número Antigo: 95.0022240-0

Servidores que ainda não foram receber a ação dos 28,86

Os associados que ainda não foram receber a ação dos 28,86 devem imprimir ofício requisitório no site do trf2 e se diritir ao Banco do Brasil com CPF e comprovante de residência. em caso de dúvida entrar em contato com ASUNIRIO no telefone: 2541-0924.

Ofício Requisitório
Passo a passo Para obter o ofício
requisitório de pagamento.
1- Pesquise no Google por “RPV
trf2 ou digite o link: http://
www10.trf2.jus.br/consultas/
precatorio-e-rpv/
2- Clicar no link “Publica”;
3- Colocar o número do CPF no
espaço requisitório;
4- Digitar código de verificação;
5- Clicar em confirmar;
6- Acessar ofício requisitório de
pagamento e imprimir duas cópias.
7- Se dirigir ao Banco com os
demais documentos(original e
cópia da Identidade, CPF e comprovante
de residência).

 

ABAIXO LISTA ATUALIZADA,  DOS NOMES QUE AINDA NÃO FORAM RECEBER A AÇÃO.

Esta Lista foi atualizada e divulgada no informativo da asunirio de 06/10/2017. O Informativo da ASUNIRIO traz em todas as edições essa lista atualizada, que também será atualizada no site. A ASUNIRIO pede para quem conheça alguém da lista abaixo, pedir para entrar em contato conosco no telefone 2541-0924.

*ANTONIO EUGENIO VALVEDE
MARIANI PASSOS;
*CLOVIS DO NASCIMENTO
NEVES;
*ELENITA DO NASCIMENTO
NEVES;
*ELIEL VALE DE OLIVEIRA;
*FERNANDO MACEDO DE FARIA;
*GERTRUDES TEIXEIRA LOPES;
*HELOIZA PINHO MACHADO;
*HILDA AZEVEDO DA SILVA
NOGUEIRA;
*JOAO GONCALVES VIEIRA;
*JOELMA FORTUNA DI CUNTO;
*JORGE LUIZ RODRIGUES PEREIRA;
*LUIZ MARCOS GUIMARAES
SOARES;
*MARIA APARECIDA RIBEIRO
MIRANDA;
*MARIA DA PENHA PINHEIRO;
*MARIO FERREIRA;
*MILTON DA SILVA PINTO;
*NAIR DE ALMEIDA TORRES;
*ROBERTO NOGUEIRA DE
SOUZA;
*SANDRA FEITOSA DE CARVALHO;
*SUELI KINUPP FEITOSA GUEDES;
*TEREZA DA SILVA;
*TEREZA ROSA BASTOS MICCO
DUNTEZ;
*THELMA SPINDOLA;

A GEOGRAFIA DA DISCRIMINAÇÃO

Por Ana Paula Gualberto

Moro no eixo Irajá, Vaz Lobo e Vicente de Carvalho desde meus 5 anos de idade. Desse modo o metrô sempre fez parte da minha vida como referência para locomoção e trânsito na cidade. Vi a extensão da linha 2 na década de 90, quando o Metrô chegou na Pavuna e em Copacabana, e me recordo claramente quando desci pela primeira vez na estação Cardeal Arcoverde e percebi a diferença brutal na estética das estações da Zona Sul e as do subúrbio. Nessa época, lá pelos meus 13 anos, eu não tinha conhecimento das questões sócio-econômicas-políticas que provocam esse tipo de intervenção.

Hoje estive na Zona Sul, e peguei o metrô na estação N.Sra. da Paz. Me lembrei daquela data longínqua, quando passei pela estação Cardeal Arcoverde e tive a mesma sensação de diferença estética: a estação é belíssima, com várias referências ao templo católico. E pra finalizar eu bato de frente com esse equívoco, que mostra implicitamente o lugar de cada um na sociedade carioca.

De um lado, estações de metrô apenas com os recursos básicos para funcionamento. Bairros negligenciados pelo poder público em todos os sentidos, segurança, saúde pública, saneamento etc. O lugar onde os negros vivem.

Do outro lado, as marcas da arquitetura carioca: praias, Cristo Redentor, estações luxuosamente decoradas e… os brancos.

A sociedade impõe a nós o nosso lugar o tempo inteiro, inclusive quando um transporte de massa não funciona com a mesma regularidade aos fins de semana e madrugadas. O negro, nesses espaços, só é bem vindo como força de trabalho, pra chegar sem atraso e o patrão não reclamar.

São muitas coisas implícitas nessas campanhas publicitárias que “refletem sobre a inclusão”. Muito reforço de estereótipo escroto oriundo das mazelas de um sistema escravocrata que nos colocou desde sempre numa condição não-humana. É essencial que percebamos a maldade nesse tipo de postura e que saibamos argumentar e reivindicar nosso lugar de direito.

E o lugar do povo preto tem que ser onde ele quiser, de Leste a Oeste, da Zona Norte à zona Sul.

Servidora humilhada em serviço será indenizada

Judiciário reconheceu assédio moral após comprovadas perseguições sofridas

Matéria descrita por Luiz Antonio, em 19 de setembro de 2017, publicada por Wagner Advogados Associados, narra que uma auxiliar de enfermagem, negra, desde sua lotação no centro cirúrgico do Hospital Universitário da UnB, passou, de forma gratuita, a receber tratamento humilhante por parte de seu superior hierárquico. Quase que diariamente o mesmo inventava um novo apelido relacionado com o peso ou com a cor da pele da servidora.
Além disso a servidora era mãe de menor com doença mental grave, a qual o tornava dependente de cuidados especiais com tratamento constante em rede hospitalar especializada. A servidora, então, procurava agendar as consultas do filho para suas folgas. Contudo, seu superior, sabedor disso, mudava os plantões após a mesma comunicar os dias das consultas, tentando forçar essa a faltar ao serviço.
O grau de agressividade chegou ao ponto máximo. A tentativa de uma solução amigável acabou no momento que o agressor afirmou que “problema de negro se resolvia no tronco”.
Foi a gota d’água para a servidora procurar auxílio junto ao Sindicato dos Trabalhadores da Fundação Universidade de Brasília – SINTFUB. Além dos procedimentos internos para investigação dos fatos, o caso, com a assessoria jurídica de Wagner Advogados Associados, foi levado ao conhecimento do Poder Judiciário através de ação com pedido de indenização por assédio moral.
Em decisão de 1º Grau houve o reconhecimento da ilegalidade da situação, com condenação da instituição ao pagamento de indenização por danos morais.
O Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em julgamento da 6ª Turma, confirmou os termos da sentença e, mais uma vez, evidenciou que a situação ocorrida se constituiu em grave caso de desrespeito social, devendo ser mantida a verba indenizatória. Existe ainda a possibilidade de recursos.

Roda de Conversa – sexta feira dia 27/10/2017

A Direção da ASUNIRIO preocupada várias perdas de direitos imposta pelo Governo Federal, convida todos os servidores Técnico-Administrativos ATIVOS, APOSENTADOS e PENSIONISTAS, para participar de uma RODA DE CONVERSA no dia 27 de outubro de 2017, no horário de 10h às 12h, na Reitoria, na Avenida Pasteur nº 296, Botafogo.

O evento debaterá sobre a conjuntura nacional e como os servidores públicos federais se situam frente as novas retiradas de direitos, bem como está a situação dos servidores aposentados e aqueles em atividade que estão em vias de se aposentar.

Na verdade, em tempos atuais não temos o que comemorar no dia 28 de outubro, dia do servidor público, porém, o evento será um momento para que a categoria possa refletir sobre o seu futuro e com as demandas que devem ser oferecidas a sociedade.

Programação

Roda de Conversa

Horário: 10h  – Servidor Público: Como fica o seu futuro?

Palestrantes:

– Professora Clarisse Gurgel

Professora do Departamento de Estudos Políticos – CCJP

 

Encontro dos Aposentados e Pensionistas

Horário: 11h  – O Aposentado e o Aposentando: Quais as Perspectivas?

Palestrante

– Mariana Flores Fontes Paiva

Mestre em Serviço Social

Assistente Social na UNIRIO – Setor de Acompanhamento e Análise do Processo de Trabalho (SAAPT)/PROGEPE

 

Local: Reitoria, situado na Avenida Pasteur nº 296 – Botafogo, R.J.

Novo Atendimento Jurídico todas as Terças

A parceria com o escritório de advocacia BAULY, MATOS E MELLO completou seu primeiro mês e tem sido um sucesso. Os associados puderam tirar dúvidas, fazer consultorias jurídicas e entrar com ações judiciais. O atendimento jurídico é individual e está disponível a todos os associados possibilitando ao mesmo a obtenção de atendimento jurídico de qualidade para dirimir dúvidas e buscar soluções através de consultas ou propositura de ações judiciais a problemas que enfrentem no cotidiano.
Os atendimentos são sempre as terças-feiras, em local previamente divulgado no jornal e site da ASUNIRIO e mediante agendamento por hora marcada.
No caso de impossibilidade de comparecimento do associado aos plantões semanais, este poderá a-gendar atendimento de segunda à sexta-feira, no horário comercial na sede do escritório.
Além do atendimento presencial, foram disponibilizados canais diretos dos advogados para a categoria, com a realização de atendimento telefônico de segunda à sexta de 09:00 h às 17:00 h e comunicação por e-mail, dando maior amplitude à cobertura da categoria.
As condições para o atendimento, oferecidas em virtude desta parceria são extremamente favoráveis aos associados.
Isso possibilita o atendimento com maior organização, conforto e qualidade para a categoria, possibilitando um amplo acesso ao serviço, com o acompanhamento de demandas na Capital e Região Metropolitana do Estado do Rio de Janeiro.
As áreas de atuação disponibi-lizadas aos associados são as seguintes: Direito Civil, Direito de Família, Direito Sucessório, Direito do Consumidor, Direito Tributário, Direito Imobiliário e Direito Administrativo.
Os agendamentos poderão ser feitos através dos e-mails: advogados@bmfm.adv.br ou asunirio@asunirio.org.br ou através de contato telefônico pelos números (21) 3179-1003 (Escritório) e (21) 2541-0924 (ASUNIRIO).
Os associados deverão comprovar que estão em dia com a contribuição com a ASUNIRIO através do desconto no contracheque e/ou através do depósito bancário.
Abaixo segue quadro com dias, locais e horários dos atendimentos jurídicos par ao mês de outubro/2017.

DIA LOCAL HORA
03/10 – campus 458 de 11h as 15h
10/10 –  PROGEPE   de 10h as 14h
17/10 –  IB                   de 10h as 14h
24/10 – HUGG           de 15h as 20h
31/10 – Sede (campus 296)  de 10h as 14h

CANTINA DO HUGG É REABERTA

No dia 25 de setembro de 2017, vai ficar marcado, após mais de 05 (cinco) anos fechada, a cantina do HUGG foi reaberta.

Buscando atender uma reivindicação dos Técnico-Administrativos e uma necessidade da comunidade do nosso hospital universitário, a Direção da ASUNIRIO, através do Coordenador Social Vagner, iniciou uma negociação junto a Direção do HUGG no mês de julho no sentido de buscar junto a Administração Superior da Universidade informações a respeito do Contrato com a empresa Rio Food por não abranger o HUGG.

Segundo informações da Administração Superior, houve na época da contração da referida empresa uma série de imprevistos que impediram que a mesma estivesse no HUGG, no entanto, não veria problema de retomar a negociação junto a empresa para poder estabelecer um termo aditivo no percentual de 25% ao contrato, o que é permitido por lei.

Diante do contexto, a ASUNIRIO conversou com o Gestor do Contrato e iniciou a negociação envolvendo a Reitoria e Direção do Hospital visando estabelecer um cronograma para a reabertura da cantina. Mas coube a ASUNIRIO atuar junto a Direção do Hospital para desocupar o local e possibilitar que a empresa Rio Food providenciasse a obra necessária para reabrir a cantina para a comunidade.

Por fim, a ASUNIRIO gostaria de agradecer a todas as pessoas que direta ou indiretamente, contribuíram para a reabertura da Cantina, pois toda a comunidade estava carente e sentindo falta de um local não apenas para se alimentar, mas também, um espaço de integração para todos.

Coordenadores da ASUNIRIO e gestores da UNIRIO estiveram presentes na inauguração da nova cantina.

Servidores elogiaram o novo espaço

ASUNIRIO da boas vindas aos 88 novos servidores RJU

A Progepe, através de seu setor de formação permanente (SFP) em parceria com a Associação dos Trabalhadores em Educação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Asunirio) promoveu no dia 24 de maio de 2017, evento para recepcionar e dar as boas vindas aos 88 servidores novos, contratados pelo sistema de Regime Júridico Unico para trabalharem no Hospital Gaffré e Guinle. Em tempos sombrios para o serviço público e para o RJU que corre o risco, pelo menos nos hospitais universitários,de sucumbir ao Regime Celetista por obra da imposição da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) a quem foi entregue a administração do nosso Gaffré e de muitos outros HUs pelo Brasil, A contratação dos novos servidores é uma alegria e motivo de orgulho. Fruto de uma luta iniciada após longo processo de desmonte do hospital universitário que teve seu apse no ano de 2014 quando o déficit de vagas no quadro de pessoal da UNIRIO alcançou o número alarmante superior a 400 vagas. As entidades dos Técnicos e dos Docentes, ASUNIRIO e ADUNIRIO em conjunto com DAA da Medicina fizeram denúncia ao MP que, após investigação judicializou o governo para contratação de novos servidores.Nesse meio tempo, Até que a decisão judicial saisse, o hospital passou por diversas turbulências. Em dezembro de 2015, Após várias ameaças de corte de verba por parte do governo,os conselhos superiores aprovaram a entrada da Ebserh para administrar o HUGG, bem como realizar investimentos e contratações. Entretanto, no ano que se seguiu de 2016 a Ebserh não investiu os recursos prometidos no hospital agravando e comprometendo o atendimento do hospital aos seus pacientes. Nesse contexto, difícil enfim por meio de ordem judicial a UNIRIO convocou novos servidores RJU para o HUGG.

O Evento aconteceu no auditório vera janacolupos,No Campus da Reitoria na urca e contou com a presença do Reitor da universidade Prof. Dr. Luiz Pedro San Gil Jutuca; do Vice-Reitor, Prof. Dr. Ricardo Silva Cardoso; do Pró-Reitor de Gestão de Pessoas, Carlos Guilhon; do Pró-Reitor de Graduação, Prof. Alcides Guarino; da Pró-Reitora de Pós-Graduação e Pesquisa, Profa. Evelyn Dill Orrico; da Coordenadora de Cultura, Profa. Naira Christofoletti, representando a Pró-Reitoria de Extensão e Cultura; da Pró-Reitora de Planeja-mento, Profa. Lorreine Hermida; da Pró-Reitora de Assuntos Estudantis, Profa. Mônica Valle e do Superintendente do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (HUGG), Prof. Fernando Ferry.

A cantora e servidora técnico-administrativa da UNIRIO, Valéria Lobão, abriu o evento com canções de Noel Rosa, a seguir o Reitor deu as boas vindas aos novos servidores, seguido pelo pró-reitor da progepe, pelo diretor do Hospital e pela diretora de Desenvolvimento de Pessoas da progepe, além de outros presentes na mesa de abertura. Ao final, o Reitor fez a entrega do termo de posse e dos pins da UNIRIO aos 88 novos servidores.

Houve também, diversas apresentações para os novos servidores com intuito de apresentar a estrutura da instituição bem como seu futuro local de trabalho bem como as comissões internas que trabalham em prol do desenvolvimento do servidor. Destacando-se a Comissão de Avaliação de Desempenho (CPA) e a Comissão Interna de Supervisão e Carreira (CIS). A ASUNIRIO não ficou de fora e apresentou aos novos servidores um breve histórico de sua história desde sua criação passando por momentos de conquistas e lutas pelos trabalhadores, sobretudo servidores técnico-administrativos da UNIRIO. Ao final, Jorge Teles coordenador Geral da ASUNIRIO Chamou os novos servidores para que se associassem preenchendo as fichas que foram entregues e ajudassem a ASUNIRIO a continuar sua missão de representar e ser a voz do servidor técnico-administrativo da UNIRIO, dentro da instinuição, seja dialogando com a administração, seja participando nos conselhos superiores, seja participando das diversas comissões formadas para representar anseios dos servidores, Quanto junto a federação em brasília, lutando por direitos fundamentais e se opondo as diversas investidas contra nossa categoria.

PROJETO QUE GARANTE NEGOCIAÇÃO COLETIVA PARA SERVIDORES PÚBLICOS É APROVADO EM COMISSÃO NA CÂMARA

Texto segue agora para a CCJ onde será votado em caráter conclusivo

Foi aprovado nessa quarta-feira na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público (Ctasp) da Câmara dos Deputados o PL 3831/2015 que trata da negociação coletiva no setor público. O projeto de autoria do senador Antônio Anastasia e que teve a deputada Alice Portugal como relatora pode ser um marco importante na regulamentação do direito de negociar dos servidores. O texto segue agora para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) onde será votado em caráter conclusivo. Por esse rito de tramitação, o projeto, se aprovado, não precisa ser votado pelo Plenário, apenas pelas comissões designadas para analisá-lo. A previsão é de que o PL seja apreciado na CCJ ainda este semestre, no entanto, sem data confirmada. A Condsef/Fenadsef vai seguir acompanhando de perto e trabalhando para que esse importante projeto seja aprovado como primeiro passo em direção à garantia do direito de negociar dos servidores.

A busca pela regulamentação da negociação coletiva é bastante antiga. Antes da Constituição de 88 já se fazia esse debate quando nem havia ainda o direito dos servidores de se organizar em sindicatos, ou o direito a fazer greve. A Constituição trouxe importantes avanços, mas deixou um vácuo delicado quando permitiu a organização em sindicatos e o direito a fazer greve, mas não permitiu o direito a negociar. Isso provocou uma relação esdrúxula, uma situação de conflito permanente e desgastante para todas as partes envolvidas. Outro momento foi a aprovação da Convenção 151 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que trata da regulamentação da negociação coletiva no setor público, que aconteceu no Brasil só em 2010. Em 2013 um Decreto ratificou a convenção, mas não foi suficiente para resolver o problema.

Fonte: Condsef/Fenadsef/Wagner Advogados Associados